A Artista


Reny Golcman é uma artista. Seu caminho era ser artista, é sua forma de expressão. Como mulher é precursora. Adentrou um espaço masculino, o da bancada de joalheria, quando mal se aceitava que a mulher trabalhasse, pelo menos onde se encontrava. Era o início dos anos 1960. É pioneira. Foi uma das primeiras mulheres brasileiras a fazer toda sua formação aqui mesmo no país. Ela participou de um dos momentos mais prolíficos da joalheria artística brasileira, tendo um lugar de destaque entre seus pioneiros.

Premiada, com sessenta e seis exposições em seu currículo, ela é formada em Pintura pela Escola Nacional de Belas Artes. Dedica-se ininterruptamente à bancada de joalheria desde 1965. Já realizou mais de 1.800 peças, inclusive algumas das joias de vanguarda com que participou das Bienais de Arte de São Paulo no período de 1969 a 1975, quando a joalheria teve um espaço nesse evento.

Em 1971, ganhou o primeiro prêmio com as Joias Mutáveis na Bienal. Em 1972, brincou com a ideia original de Santos Dumont e deslocou o mostrador do relógio para a lateral do pulso, criando assim a joia Krono. Em 1975, ela executou paramentos para Torá, atividade interditada às mulheres até então. De lá para cá, ela teve suas peças apreciadas e reconhecidas no Brasil e no exterior. Um colar com mandíbula de peixe participa de exposição itinerante de joalheria contemporânea desde 2011, percorrendo museus da América e da Europa.

As joias são seu projeto de vida. Há uma integridade artística palpável e que parece vir de seu processo direto de criação. São todas feitas à mão e únicas. Reny costuma dizer que quem tem um trabalho seu a conhece. Ela também costuma afirmar que nunca faz concessões! Sempre tratou de ter um lastro para devolver o metal, no caso de um cliente não ficar satisfeito com seu trabalho.

É uma artista plástica joalheira que ambiciona desde o início fazer diferente de tudo que conhece. Há uma rebeldia intrínseca nela. Seu desejo é subverter o universo das joias. Persegue esse objetivo e costuma dizer que a criação é uma necessidade vital. Ela produz joias que convidam o outro a interagir, a participar e a se envolver.

Ela exercita a experimentação e a capacidade de se apropriar de tudo que lhe cai nas mãos, sejam materiais, ferramentas, obras ou ideias. Tem coragem de se expor. É perseverante e com isso foi desenvolvendo e aprimorando seu traço, seu processo e sua expressão. Também foi expandindo seu acervo de materiais inusitados, seu repertório de técnicas e sua criatividade. Suas joias são feitas com alma, com carinho e refletem uma forma de acercar-se do pensar a arte, do fazer com as mãos, do expressar-se através de seu trabalho, num estilo próprio e inconfundível. Apesar de não apresentar uma gramática claramente perceptível em seu trabalho, sua extensa produção nos deixa entrever um rico vocabulário feito de curvas, vazados, retalhos, semiesferas, fitas enroladas, texturas que formam desenhos, repetições, variações. Mesmo com a frequente incorporação de gemas e materiais inusitados, o destaque nunca é exclusivamente deles. É sempre da forma como ela se apropria dos materiais e como os absorve em seu trabalho de criação.

Conhecer a obra de Reny Golcman pode renovar o espírito artístico em designers de joias, joalheiros, ourives ou naqueles que estão se iniciando na joalheria. Numa época em que a criação volta a ser estimulada, não fazer concessões, mutilando a própria criação para agradar a todos, é um gesto a ser cultivado, assim como criar pelo simples prazer de se expressar, mas de olho no que acontece ao nosso redor. Conhecer sua obra e trajetória pode ser muito interessante para quem aprecia a arte em sua forma mais próxima a todos nós, feita à mão e para ser usada junto ao corpo como joia.

Ela é carioca e mora em São Paulo desde 1956.

The Artist

Reny Golcman is an artist. Her path was to be an artist, this is her means of expression. As a woman, she is a precursor. She entered a masculine space, which of the jewelry bench, when it was barely acceptable for women to work, at least in the milieu where she found herself. It was the beginning of the 1960’s. She is a pioneer. She was one of the first Brazilian women to complete all her training in artistic jewelry right here in the country. She participated of one of the most prolific moments of the Brazilian artistic jewelry and had a prominent place among its pioneers.

She is an award-winning artist who has on her résumé 65 national and international exhibitions. She has a degree in Painting from the School of Fine Arts of the University of Brazil. Since 1965 she has created uninterruptedly more than 1,800 pieces at her goldsmith’s bench, including the avant-garde pieces with which she participated in the São Paulo International Art Biennial from 1069 to 1975, when jewelry had a presence in it.

In 1971, participating in the Biennial, she won first prize with the Changeable Jewelry, inviting people to create their own jewelry. In 1972, she played with the original idea of Santos Dumont and shifted the clock face to the side of the wrist, thus creating the Krono jewelry. In 1975, she created the ornaments for a Torah, an activity banned to women until then, showing her fearlessness. Since then, she’s had her pieces appreciated and recognized wherever she went. A necklace with a fish mandibule takes part of a contemporary jewelry exhibition since 2011, travelling to museums in America and Europe.

Jewels are the project of her life. There is a palpable artistic integrity and that seems to come from her direct creation process. They are all made by hand and unique. Reny likes to say: those who have one of her pieces know her. She also likes to say that she never makes concessions! She always tried to have a ballast to return the metal, in case the client wasn’t satisfied with her work.

She is a jeweler artist whose ambition, from the start, was to do things differently from everything that is known. There is an intrinsic rebelliousness in her. She wants to subvert the universe of jewelry. She pursues this goal and always says that creation is a vital necessity. She produces jewels that invite others to interact, participate and become involved.

She exercises experimentation and the chance to appropriate everything that falls into her hands, whether materials, tools, works or ideas. She has the courage to open herself to the others. She is persevering and, with this, she developed and improved her lines, her process and her expression. She also expanded her collection of unusual materials, her repertoire of techniques and her creativity. Her jewelry is made with soul, with love and reflects a way of approaching the thinking about art, of working with her hands, of expressing herself through her work, in her own unmistakable style. Although she does not present a clearly perceptible grammar in her work, her extensive production allows us to glimpse a rich vocabulary made of curves, hollows, patchworks, half spheres, curled ribbons, textures that form designs, repetitions, variations. Even with the frequent incorporation of gems and unusual materials, the highlight is never exclusively theirs. It’s always the way she appropriates the materials and how she incorporates them in her creative work.

Knowing the work of Reny Golcman can renew the artistic spirit in jewelry designers, jewelers, goldsmiths, or those who are starting in jewelry. At a time when creation is stimulated once again, making no concessions - mutilating your own creation to please everyone - is a gesture to be cultivated, as well as creating for the simple pleasure of expressing one’s self, but keeping an eye on what happens around us. Getting to know her work and career can be very interesting for those who appreciate art in the form closest to all of us, made by hand and worn on the body as jewelry.

Born in Rio de Janeiro, she lives in São Paulo since 1956.

CRONOLOGIA

BIBLIOGRAFIA